quinta-feira, julho 17, 2014

A tal da Competição feminina no trabalho... ô meu pai...

Trabalho no serviço público.
Adoro o que faço.
Tive sorte de ter ingressado na Fundação onde estou.
Mas, nada é só coisa boa.
Esbarramos com colegas e "colegasssss".
Aquela coisa de tomar para si as glórias que não são suas é punk rock hard core, viu?
Você trabalha, desgasta-se, dedica-se pra no fim ver o resultado sendo reconhecido nas mãos de outra pessoa que não sabe nem metade.
C´est la vie...
Estou iniciando a minha trajetória na parte boa e na parte podre do serviço público.
Tenho é que agarrar-me às minhas conquistas, pois quero mais é o reconhecimento da pessoas a quem eu atinjo diretamente.
Para estes sim vou deixar a minha marca.


quarta-feira, julho 09, 2014

Eu acredito que ainda tem jeito...

Bom dia...
E o dia começa com uma histórica derrota futebolística do Brasil num mundial. 
Uma pena.
Mas, aqui o pão e o circo são comuns para esconder as falcatruas, arranjados, corrupções e um sem fim de irregularidades na política e no governo. Vide a última notícia de um viaduto superfaturado que desabou em Belo Horizonte matando pessoas. Uma notícia que mal abalou o país em comparação com o 7X1 da Alemanha sobre o Brasil ontem na semifinal da Copa do Mundo.
Outra pena.
A Brazuca é mais importante que a vida de transeuntes que estavam trabalhando e vivendo a vida quando, por causa de ladrões, toneladas de concreto caem sobre a cabeça da população.
Que valores temos, hein?
C´est la vie...

sexta-feira, julho 04, 2014

Desafios...

Nem sei como começar.
Tanta coisa acontecendo.
O que posso pensar da minha existência atualmente?
Resumo em: muitos desafios internos e externos.
Lidar com pessoas é algo mágico, diariamente surpreendente e ao mesmo tempo, difícil.
Mas... adoro!
Sinto-me ativa, útil e mais do que nunca, egoisticamente, movimentando o meu cérebro!
Estou viva através das pessoas!
Fascinante!
Escutar é um dom que tenho. sou extremamente privilegiada por isto, pois a qualidade de OUVIR está cada vez mais rara entre a grande maioria das pessoas.
ANSIEDADE é a " doença" da vez se é que posso qualificar esta sensação como doença.
Classifico-a assim, pois o nível de ansiedade nas pessoas está, na minha visão tão extremamente alto que começa a ser patológico a partir do momento em que por falta do saber ouvir, do ter tolerância, paciência e do saber dialogar, as crise acontecem, as brigas ocorrem, as atitudes impensadas tomam  a vez  e uma série de consequências desastrosas acontecem.
Muitas vezes ponho a culpa disto tudo no avanço da tecnologia.
É verdade.
Pensem comigo:
A velocidade das informações, surgida através da internet tem bombardeado as nossas mentes de um sem fim de conteúdos que o nosso cérebro ainda não consegue administrar de forma coerente, organizada, sem interferir em nosso estado de ânimo.
Consequentemente as empresas, sejam elas públicas ou privadas, exigem cada vez mais de seus funcionários as tais das: resiliência, flexibilidade e adaptação.
O cotidiano cheio de equipamentos eletrônicos plugados em você, como o celular, o IPAD, o bluetooth, os veículos que fazem ligações telefônicas enquanto você dirige, enfim. Já perdi até as contas de tantas as ferramentas que hoje o home pode usar para estar "full time" conectado.
Na hora de domrir, me respondam, você simplesmente apagam? dificilmente. Até o seu cérebro desacelerar... vai aí uma meia hora ou mais. Aí você fica estressado porque tem que dormir pra poder acordar bem. Olha aí que paradoxo?!?!?!?
Então o homem começa a usufruir das bolinhas calmantes para induzir o organismo ao sono. Ficam dependentes. As bolinhas calmantes em abstinência causam o efeito contrário e você fica uma pilha de nervos.
Bem, escreveria um compêndio de coisas que eu vejo ocorrer todos os dias comigo e com os que estão ao meu redor nos tempos acelerados de hoje em dia.
Não pensem que é uma visão pessimista, apenas, sim, uma visão realista.
Adoro gente, adoro desafios.
C`est la vie...