domingo, março 29, 2015

Passado no passado.

...Foi procurar coisas e acabou se deparando com o passado.
E uma sensação boa de superação e de que o passado está lá mesmo, no passado.
Sensação boa de não querer seguir em frente, de sentir-se livre, desapegada e de certa forma até aliviada.
Sentimento de evolução, progresso de maneira geral.
Com ou sem riqueza de vocabulário, o bem estar não tem palavras.
Continua seguindo...

quarta-feira, março 18, 2015

A Colheita

Nada mais verdadeiro do que o que escreveu Mário Quintana:
"O segredo não é correr atrás das borboletas, é cuidar do jardim para que elas venham até você."

A gente colhe o que planta.

Hoje foi percebido o milagre da natureza no jardim: O jasmineiro que antes era tolhido pela comigo ninguém pode, passou a respirar, se soltar e começar a florescer seu perfume doce através de suas pequenas flores brancas, suaves como um veludo, delicadas como um bebê.

Sim, a comigo ninguém pode é de fato uma planta forte, robusta e com ela ninguém pode mesmo.

A natureza é perfeita. 

Dedico o jasmineiro que plantei no canteiro do jardim da casa dos meus avós maternos a eles mesmos.

Hoje, ao aguar as plantas, pude sentir seu cheiro doce e delicado, quase comestível, como se fosse uma bala gostosa desejada pela criança.

Sensação igual não há ao ver e perceber que tuas mão plantaram uma flor tão doce e meiga e ela vingou, persistiu num solo inicialmente castigado e junto a uma planta que não a deixava respirar por meses. Agora, finda a tortura, ele brota sua flores e seu perfume como que em agradecimento pelo alívio e pelo cuidado que recebeu.

Sim, estou na mesma situação. Sou a jasmineira que persiste e insiste em solo árido. As borbboletas estão a caminho!

domingo, março 08, 2015

Para mim e todas as mulheres!


 Bendita Mulher
esta que sou.
Sorrindo ou chorando,
Vivendo ou vegetando.

 Altiva, guerreira.
Faceira.
 Com bichos e plantas,
alegrias tantas.

Cantando ou  sorrindo,
vivendo e os dias...
Indo.
 Enfrentando pequenos e grandes obstáculos, mas nunca, nunca baixando a cabeça aos podres tentáculos que insistem em sufocar o que em mim é inato: Vida !

sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Audro.








Ontem foi o aniversário dele e eu havia esquecido... Faria 60 anos.
Mas, ele não me deixou esquecer, fazendo-me lembrar desde o início da semana inexplicavelmente de nossos momentos.
Sim, os laços da vida existem e persistem eternamente.